14 de maio de 2015

Vamos a la playa gringa - Uma aventura no Dia das Mães

O Dia das Mães estava se aproximando e para mim ter essa data não estava fazendo o menor sentido. Eu sou mãe todos os dias e estou tão mergulhada na rotina de cuidar da Liana o dia inteiro, que confesso que estou muito cansada. Eu amo a Liana mais que tudo nesse mundo, mas na últimas semanas o que eu mais queria era ter um tempo pra mim, fazer algo que não seja apenas sobre ela. Foi  então que eu tive uma brilhante ideia: já que flores ou um presente não era o que eu queria, no domingo iríamos fazer algo que eu gosto muito e que sempre me renova quando eu faço. Iríamos para a praia.

Eu sou do Planalto Central do Brasil, onde o que mais se aproxima do mar é o céu. Mas adoro ir pra praia. O mar pra mim é algo mágico, maravilhoso e energizante. Pronto, era tudo o que eu precisava!

Aqui estamos no litoral, mas as praias boas ficam longe. Como não temos carro e maridex é muito branco pra ficar tomando sol, não fomos muitas vezes às praias das redondezas durante esses 3 anos que moro aqui. Isso seria mais um motivo para o passeio tornar esse meu primeiro dia das mães especial. Além disso, o último inverno que passamos aqui foi bruto. Um frio congelante e muita neve, o suficiente para quebrar o recorde histórico de maior quantidade de neve em Boston. De acordo com a previsão do tempo, o dia das Mães seria o primeiro a atingir mais de 30˚C neste ano: o primeiro dia perfeito no ano para curtir sol e mar.

Então o domingo de manhã já começou bom. Enquanto eu dormia um pouco mais o maridex brincava com a Monstrinha, como é costume. Ele então a trouxe para a nossa cama e quando ela veio toda feliz e animada pra mim eu a peguei e tive a lembrança tão nítida da primeira vez que fiz isso, no momento que ela nasceu, quando ela estava tão macia, molhada e quentinha, há quase um ano atrás. O nosso primeiro encontro! Eu a pego no colo todos os dias, aliás toda hora. Mas era dia das mães e aquele aconchego de tê-la no colo foi lindo demais. Naquele momento eu percebi que o dia das mãe era sim uma data especial.

Tínhamos alugado um carro para o dia e planejado algumas coisas. Eu e maridex somos planning persons, mas para esse passeio faltou planejar e organizar um pouco mais pra evitar possíveis problemas.

A nossa primeira falha foi não organizar todas as coisas de levar com antecedência. Isso nos atrasou bastante pra sair de casa. Tive a minha primeira surpresa. Eu não sabia que na praia que estávamos indo tinha uma quantidade limitada de vagas no estacionamento. Se chega e não tem vaga não tem como inventar uma vaga ou estacionar em outro local. É proibido estacionar na via que dá acesso ao local e pronto. Enfrentamos uma grande fila para entrar no estacionamento, mas ainda bem que conseguimos!

Eu estou acostumada com o esquema das praias brasileiras de ter barzinhos, barraquinhas de comida e vendedores ambulantes. Eu sei que aqui não tem nada disso, e eu achava muito bom ir pra praia sem ter chatos vendedores oferecendo coisas toda hora. Eu achava até semana passada. Depois do aperto que passamos prometi que nunca mais vou reclamar desses benditos ambulantes. Nós fomos contando que a única lanchonete que tem na entrada da praia estaria aberta e lá poderíamos comprar umas comidinhas pra gente. Então levamos poucos petiscos e comidas só pra Liana. Mas apesar da praia estar lotada a lanchonete ficou fechadíssima durante todo o dia. É porque a lanchonete só abre no verão. E ainda é primavera, apesar de ter sido um dia com temperatura de verão. Para comprar comida teriamos que ir de carro e dirigir bastante, então nos viramos com o pouco que tínhamos. Foi um aperto! Ficamos cerca de 4 horas por lá e durante todo esse tempo o maridex comeu meia maçã. Eu comi um pacote de um salgadinho de beterraba (é como batata frita, mas é beterraba assada), milho cozido, cenouras e cereais, tudo isso dividindo com a Liana. E juntos bebemos 5 litros de água, sendo que eu bebi a maioria, já que estava amamentando.

Lá eu fui observando a gringaiada e seus apetrechos.  Como não tem onde alugar cadeiras ou guarda sol, muitos banhistas levam suas cadeiras dobráveis que tem alças para serem carregadas como mochilas, seus guarda-sol, e suas pequenas (ou não tão pequenas assim) barracas. E já pensei que essas barraquinhas eram um barato. Eu não sabia que nós também temos esse item. E estávamos levando ele! Como nunca tinha usado, só via ele dobrado sempre no armário, pensava que se tratava de um guarda sol grande. Foi uma surpresa ótima pra mim! Assim eu teria um pouco mais de privacidade para amamentar sem chocar as pessoas em volta (sim, isso aqui acontece) e a Liana ficaria mais protegida do sol.

Sabe como numa praia brasileira um venderdor ambulante passa por nós com uma caixa térmica cheia de coisas? Aqui praticamente todos os banhistas tinham seja a caixa, ou uma mega sacola de comes e bebes. Ser farofeiro aqui é a regra. Se não for, morre de fome esturricado na areia. E por falar em areia, aquela sujeira que geralmente fica no chão nas praias brasileiras, aqui não tem. No final da estada cada pessoa resolhe o seu lixo e leva até a lixeira. Isso é lindo de se ver!

As bebidas alcoolicas é um ponto interessante. Beber uma cerveja gelada na praia combina, né! Pois aqui é proibido beber assim em locais públicos. Mas haviam alguns gringos usando copos de plástico desfarçadamente. Acho legal que não tem aqueles bêbados, porque nesse esquema de beber meio escondidinho não dá pra se embriagar.

Outra coisa diferente são os trajes de banho. Aqui homens não usam sunga porque acham feio vestirem algo tão pequeno que mostra o contorno do pacote. Nenhuma mulher usa biquini pequeno (a não ser que seja brasileira, rs). Mas há biquinis de tamanho médio (aqui considerados pequenos), algumas mulheres usam maiô e outras usam uma espécie de biquini com sainha e blusa que eu acho bem ridículo. Antes de chegar eu estava com um certo receio de ser vista com o meu biquini e ser julgada. É porque já vi relato de brasileira que na Gringolândia teve que trocar o biquini pelo maiô depois de se tornar mãe e assim evitar olhares desaprovadores. Mas lá vi outras mães vestidas como eu e fiquei mais tranquila.

Eu tinha pensado em tomar sol enquanto o maridex ficava com a Monstrinha, mas no final não consegui ficar longe deles. Nos divertimos muito juntos, entramos na água geladíssima, montamos castelos de areia. A Liana toda hora comia um pouco de areia, e foi impossível pará-la de fazer. Tivemos que ficar vigilantes, mas ela sempre conseguia nos despistar e colocar mais areia na boca. Mas como eu sempre digo, o que não mata engorda.

Apesar do perrengue de não termos muito o que comer durante o passeio, o meu primeiro Dia das Mães pós Liana foi maravilhoso! Pra encerrar fomos a um restaurante italiano e nós três comemos como se não houvesse amanhã. Os outros clientes do restaurante estavam todos bem vestidos para comemorar a data especial. Nós estávamos ainda com roupa de banho por baixo, sujos de areia e com os cabelos horríveis. Mas ninguém se importou com isso.

Depois desse dia tão bom chegamos em casa exaustos mas felizes.

Finalizo com algumas fotinhas do meu divertido Dia das Mães.




Só pra ter uma noção de como é a nossa super barraca de praia

Monstrinha devorando um milho dentro da barraca

Treinando andar na água
Treinando andar na areia

Selfie da família
"Mamãe, estou adorando comer toda essa areia salgadinha!"

A minha foto preferida do dia


18 comentários:

  1. Meu Deus, Rita! Ela está enorme e uma lindeza!
    Acho que foi uma ótima aventura para marcar o dia! hahahahahahahah

    Beijos! E que venham outras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Romana! Ela tá sim, hehe!

      Excluir
  2. Rita, como a Liana cresceu!! Tá linda!! Que paixão!! A praia é linda, hein? Onde fica? A gente sempre vai à praia quando vamos pra Florida!! Amo Hollywood Beach que tem uma super estrutura pras familias. Adorei ver vcs!!! Bjão!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Myriam, essa praia nem é tão bonita. Acho que depois que eu fui pra Fernando de Noronha e pra Paraiba, fiquei mais exigente pra achar praias bonitas :) Esta que fomos chama-se Crane Beach e fica ao norte de Boston, em Massachusetts mesmo. Beijos!

      Excluir
  3. A Liana está enorme e linda!!! E nada melhor do que um dia na praia com a família... Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lyana, a sua quase xará cresce mais que pé de abóbora! Por isso tá tão grande!

      Excluir
  4. Linda, ela está muito linda!
    Hahaha! Que falta fazem os ambulantes na praia. Sempre digo que meu sonho é ver passar um vendedor de picolé aqui pela nossa praia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opi, aí onde você mora é bem longe do "circuito" para os vendedores de picolé, né?!

      Excluir
  5. Eu não saberia estar em uma praia sem ambulante. Sem picolé, mate, sanduíche, óculos, bíquini...kkkkkk....Eles vendem de tudo.
    A experiência me pareceu interessante, quem sabe um dia eu não curta uma praia gringa dessas.
    Liana tá gatíssima, principalmente de óculos e maiô.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari, se nós tivéssemos levado comida o suficiente, como todas as outras pessoas lá fizeram eu não sentiria falta nenhuma. Mas um vendedorzinho iria nos tirar do sufoco!

      Excluir
  6. Que delícia de passeio. A Liana está muito fofa!!
    Bjus***

    ResponderExcluir
  7. Menina, que passeio delícia! Apesar de todos os perrengues! Ainda bem que agora a Liana existe e que amou a praia, porque agora vai ser obrigação de vcs tirarem pelo menos mais uns dois domingos na primavera E mais outros dois no verão pra curtir esse programa novamente.
    Adorei o biquini, brasileiríssimo!
    Quanto à comer areia, Elis até hoje faz um cocozinho diferente quando vamos passar o final de semana na praia. Uma consistência tipo frapê, sabe? Hehehehehe Aliás, Elis e Cauã também.
    Beijos em vcs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Naty, obrigada! Esse biquini que eu estava usando é o único que comprei aqui na Gringa. Tamanho ultra pequeno para os padrões daqui, claro! Menina, o cocô ficar frapê tudo bem! O sal é que me deu um pouco de medo.

      Excluir
  8. Rita que gostoso, aqui meu dias da mãe foi de chuva muita chuva que nem na varanda dava para sair. Mas para mim o mais importante foi ter ficado com meu bichinho de manhã até a noite foi meu melhor presente.
    Parabéns pela família linda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dayanne, que bom que você curtiu mesmo com chuva o nosso dia. Beijos!

      Excluir
  9. Respostas
    1. Jorge, que bom te ver por aqui! Ah, morro com a fofura da Monstriha todos os dias :)

      Excluir

Leu? O que achou? Deixe aqui seu comentário, que logo eu respondo. Para ver a resposta não se esqueça de marcar o quadradinho Notifique-me, em baixo.