7 de agosto de 2014

Amamentação - parte 2: o problema do excesso de leite

Como falei no último post, estamos na Semana Mundial da Amamentação, que é de 1 a 7 de agosto. E com toda a atenção voltada à amamentação eu descobri algo que me emocionou. O papa Francisco, no início deste ano, utilizou da amamentação para falar da fome no mundo, achei tão lindo. Eu gosto muito do Papa Francisco, e agora gosto ainda mais, vejam só o que ele contou em uma entrevista:

"Outro dia, a Audiência Geral de Quarta-Feira (diante do Vaticano), vi em meio ao público uma jovem mãe com um bebê de poucos meses. A criança estava chorando muito no momento em que eu passei. Eu disse a ela: 'Senhora, eu acho que seu bebê está com fome.' E ela respondeu: 'Sim, provavelmente está na hora... (de ele mamar).' No que eu disse: 'Então dê algo para ele se alimentar.'
Mas ela estava tímida e não queria amamentá-lo em público, enquanto o Papa estava passando. Eu gostaria de dizer o mesmo à humanidade: dê algo para as pessoas comerem. Aquela mulher tinha leite para dar ao seu filho; nós temos comida suficiente no mundo para alimentar a todos. Se nós trabalharmos com organizações humanitárias e concordarmos em não desperdiçar comida, vamos colaborar para resolver o problema da fome no mundo.
Eu gostaria de repetir para a humanidade o que eu disse para aquela mãe: Dê comida a quem está faminto! Que a esperança do Natal do Senhor abale sua indiferença."

Lindo, né?! E eu me esqueci de escrever no post anterior que um dos locais que eu amamentei foi dentro da igreja, durante o batizado da Liana. Antes da unção pós-batismal, eu estava amamentando a monstrinha e pedimos ao padre pra ele ungir as outras crianças primeiro e voltar para ungir a nossa por último. E foi tudo bem!

Mas o que quero contar aqui é de uns problemas que começaram mais ou menos quando a Liana estava com 8 semanas de vida fora do útero. O cocô do bebê é amarelo, e assim era o da Liana, até ele começar a ficar meio mostarda e depois ficou verde, muitas vezes contendo pequenas manchas de sangue. Na semana passada chegou a ser de um tom verde bem escuro, e isso não é normal. Além disso, quando ela evacuava ele saia mais aquoso e com bastante espuma.

Ela também estava mais manhosa e chorona que o normal, e as mamadas foram cada vez mais diminuindo de duração. E o pior é que ela estava com fome, eu estava com muito leite, ela estava chorando e quando eu a colocava no peito ela chorava ainda mais. As vezes de imediato e as vezes ela mamava um minuto ou mais e começava a berrar. Percebi que ela estava com muito gás, então eu a colocava pra arrotar antes, durante e depois das mamadas. Vi que o choro era por causado gás, ela mamava e doía a barriga, e muitas vezes eu até ouvia o barulhinho do gás na barriga dela.

A relação da Liana com os meus peitos passou a ser exatamente como a música, "entre tapas e beijos, é ódio, é desejo". Ela mamava, queria mamar, mas logo me empurrava, ficava agitada, largava o meu peito e chorava. E meus peitos ficavam pingando ou até saindo jatos de leite. Pra fazer ela mamar durante o dia eu tinha que acalmá-la pra depois ela mamar mais um pouco.

Com todos esses sintomas eu tinha certeza que era alergia a algo que eu estava comendo. Então parei de comer gluten, nozes, leite e seus derivados. Fiquei até com medo de emagrecer muito com tanta restrição e sair voando com o primeiro vento.

Depois de 3 dias de restrição, ainda estávamos com o mesmo problema. Nesse dia descobrimos aqui que possivelmente não era alergia o problema da Liana, e sim excesso de leite. Eu já tinha lido bastante sobre amamentação, mas eu não tinha ideia que o excesso de leite materno poderia ser um problema. Mas é como dizem, tudo em excesso faz mal!

O que acontece é que o leite que nós produzimos é perfeito, tem todos os nutrientes que o nosso bebê precisa. Mas conforme ele vai sendo produzido, ele fica armazenado no peito. Ele tem sempre a mesma composição, mas com o tempo a gordura do leite vai se acumulando mais ao fundo. Então quando o bebê começa a mamar o primeiro leite que sai, que é chamado aqui de foremilk, ou leite anterior, tem menos gordura e mais açúcar (lactose) e água. Depois de alguns minutos mamando sai o leite posterior, chamado aqui de hindmilk, que tem menos lactose e muito mais gordura. Mas acontece que se o neném começa a sugar e há muito leite, ele sai com muita pressão e a criança muitas vezes não sabe como lidar com toda essa quantidade. Então ela pode parar de mamar logo e assim não chega ao leite posterior, só o anterior que tem muita lactose. Como o sistema digestivo da criança ainda está muito imaturo, toda essa lactose não é digerida e forma o gás na barriga do neném. E assim se forma um ciclo vicioso: o bebê está com fome, quer mamar, mas mamando vem um jato de leite muito forte com muita lactose, e ele já está com gás e assim fica com mais gás ainda e não ingere a gordura necessária pra se saciar. Resultado: muito choro e leite sobrando no peito.

Com o tempo o corpo da mãe se ajusta à demanda do seu bebê e também o bebê aprende a lidar com o peito da mãe, mas isso pode demorar um pouco a acontecer.

A Liana teve uma consulta com a pediatra e vimos que ela está crescendo normalmente - ela é inclusive mais alta que 94% dos bebês da sua idade. A pediatra disse que é difícil saber com certeza se o nosso problema é excesso de leite ou alergia, já que sintomas são os mesmos. Mas se for alergia deve ser ao leite de vaca, então pelo menos eu poderia voltar a comer gluten e castanhas - Graças a Deus! E ela pediu que eu siga as orientações para o caso de excesso de leite.

O que estamos fazendo aqui:

- Parei de consumir leites e derivados (para o caso da Liana ter alergia)
- Parei de comer canjica (a minha família trouxe muita canjica do Brasil pra mim e todos me mandaram comer pra eu ter muito leite!)
- Quando a Liana vai mamar eu tento colocá-la numa posição acima do meu peito. Fico deitada e coloco ela deitada de bruços sobre mim. Assim o leite vai contra a gravidade, saindo mais devagar pra ela. É claro que só é possível fazer isso em casa.
- A cada mamada ela mama um peito por vez, nunca dou os 2 peitos numa mamada.
- Se o meu peito está muito cheio eu ordenho um pouco antes. Eu estava ordenhando com a bomba elétrica, mas isso fez aumentar ainda mais a minha produção. Agora ordenho manualmente num copo.
- Tento não tomar banho muito quente e longo, porque o calor estimula ainda mais a produção.
- Dou pra ela o mesmo peito em a cada 2 ou 3 mamadas seguidas. Durante esse período o outro peito parece que vai explodir de tanto leite, mas eu não dou pra ela e ordenho manualmente o excesso.
- Quando ela pega o peito e ainda está agitada e nervosa e a acalmo antes e coloco no peito novamente.
- Se ela ainda fica agitada no peito eu fico amamentando balançando o meu corpo com ela levemente, como dançando enquanto ela mama, assim ela se acalma.
- Deixo ela no peito por muito mais tempo, geralmente ela até dorme e fica mamando por mais de 20 minutos.

Com todas essas medidas está bem melhor as nossas mamadas agora. Eu vejo que ela tem bem menos gás, está mais feliz, e seu cocô voltou a ser amarelo. De vez em quando ele ainda sai meio esverdeado durante o dia, mas está cada vez melhor. E lembram que eu não queria dar chupeta de jeito nenhum? Agora não estamos dando mais!

Eu sempre rezei pra ter muito leite... É como se diz: cuidado com o que você pede a Deus, porque Ele atende!


25 comentários:

  1. Rita, que feliz que eu fiquei de ler isso aí.
    Hiperlactação é um problema daqueles bem chatinhos mesmo. Mas que bom que vc está tirando isso de letra!
    E tirou a chupeta!!!! EEEEEEEEEEEE


    E to rezando mesmo pra ter muito leite, pq quando os dois nascerem, menina... vai ter que ser muito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, Carol! Eu forcei a minha caixola pra arranjar uma palavra que fosse a tradução de oversupply e não consegui... é hiperlactação!!! palavrinha difícil pra um problema chatinho. Mas tomara que você tenha! Pelo menos o suficiente para os dois bebês!

      Excluir
  2. Rita eu não sabia que leite em excesso poderia causar esse tipo de reação no bebê. Foi bom saber disso. Fico feliz que vc conseguiu identificar o problema e está sabendo contornar muito bem essa situação!!!! Bjos!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lyanna, é vivendo e aprendendo! Ainda não estamos 100%, mas quase lá!

      Excluir
  3. Rita quero lhe agradecer por dividir suas experiências conosco, mal descobri a gravidez e já me preocupo com a amamentação, quero muito amamentar em livre demanda, pelo tempo que o bb quiser e em qualquer lugar sem medo e constrangimento, mas sei que tudo é lindo na teoria. Mas o que faz a prática ser cada vez melhor é toda a teoria que nos alimenta de informação, então, vamos seguir os planos. Porém sei que a maternidade é uma caixinha de surpresas, cada dia é uma novidade, vou me preparar para viver fortes emoções.
    Que Deus continue abençoando muito vc e Liana.
    Bjus***

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thalita, é mesmo uma caixinha de surpresas, mas quanto mais informações tivermos, melhor!
      Beijos!

      Excluir
  4. Rita, muiiito enriquecedor o teu post!
    Adorei!
    Quando comecei a ler identifiquei uma amiga que passou por isso aqui, mas acho que não chegaram nessa mesma conclusão, chegaram sim, na de alergia, porém por meses ela evitando lactose, descobriu que não era, mas nunca chegaram a esse diagnóstico, o tempo passou e a menina parou de mamar, vou inclusive recomentar essa leitura a ela, agora já nem adianta mais, mas é mais por informação mesmo, caso ela venha a passar por isso de novo!
    Tadinha da menina ficava com a barriguinha grande de gases!
    Desejo sorte aí pra vocês e obrigada por visitar a minha casinha!
    Vai dar tudo certo! Dedicação e conhecimento é a chave!
    bjk

    querosermami.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda, se a sua amiga tinha muito leite, e ele jorrava quando a bebê não mamava, possivelmente foi esse o problema dela sim. É estranho que eu não achei quase nada sobre isso em sites brasileiros. As informações que encontrei foram em site gringos.
      Beijos!

      Excluir
  5. Eu doo todo o excesso de leite aqui em Brasília. Tão bom os bombeiros virem buscar na sua casa para ajudar a quem precisa!

    Sobre dar o mesmo peito várias vezes, só toma cuidado para o outro não ficar com um tamanho diferente. Aconteceu com minha vizinha.

    Leitinho quentinho é muito bom!!!! Parabéns pra nós nessa semana mundial!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabi, eu já naturalmente tinha um peito um pouco maior que o outro (todo mundo tem!), mas agora sempre um está beeeeem maior que o outro, porque a chave é dar um peito só até ele esvaziar completamente. Enquanto isso, o outro fica cheio. Mas tudo bem!
      Beijos!

      Excluir
  6. Rita fico feliz que tudo se ajeitou por aí, que o leitinho de vocês continue chegando gostoso e quentinho e na medida certa.
    Bjus em vocês
    http://seraquevousermae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Vixi! Morria e não sabia desse excesso de produção de leite! Que pode fazer mal ao bebê. E viva a informação!
    Tudo com muito amor se resolve. Imaginei vcs dançando enquanto ela mama. Que coisa mais linda!
    Beijos me vcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Naty, por isso que resolvi escrever sobre isso, quase ninguém sabe que hiperlactação pode ser um problema.
      Beijos!

      Excluir
  8. Oi Rita,

    Também tive o mesmo problema...mas depois que descobrimos é um alívio para ambos.....amamentação é uma caixinha de surpresas...kkk!!!!

    Bjos e bom final de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica, a maternidade inteira é uma caixinha de surpresas, rs!

      Excluir
  9. Adorei o post muito informativo! Adorei seu blog, seguindo! Segue o meu?

    http://contodefadas-leeh.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Letícia! Muito obrigada pela visita!

      Excluir
  10. Ooi ritaaaa ! Aqui também deixo sempre 3 mamadas ou mais, só troco qdo tem mais de três chupadas antes de engolir, pq aqui normalmente cada chupada é uma golada kkkkk perdão pelo sumiço, parto lindo, filha linda, tudo lindo!! Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leda! Tu ta muito sumida! Quero saber notícias!

      Excluir
  11. Oi Rita! Não foi exatamente o mesmo caso, mas no início meus seios enchiam demais, vazavam muito, até espirravam leite, mas depois (por volta dos 3 meses) a produção se ajustou, e nem tem vazado mais... Talvez seja isso por aí, em maior intensidade. Gostei do abandono da chupeta. Para mim, os (poucos) benefícios não compensam os (muitos) malefícios. Para falar a verdade, cheguei a oferecer ao meu primeiro filho, em momentos de desespero. Mas antes de completar 2 meses de vida, não ofereci mais. Ao segundo filho, não ofereci nenhuma vez. O segredo é não ter chupeta em casa ;) Porque, no desespero, podemos cair em tentação. Hehehe! Boa sorte. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia! Eu quase não ofereço mais chupeta pra Liana, mas to preferindo ainda ter em casa pra um momento de desespero :)

      Excluir
  12. Oi Rita!!! Saudades daqui...
    Fico feliz que vc tenha tanto leite, mesmo que isso a principio esteja sendo um "probleminha", tenho certeza que logo as coisas se ajustam, como vc mesma disse. E achei tão lindo isso que o papa Francisco falou, eu não sabia dessas palavras. Quando estava lendo veio a minha mente o batizado do Felipe, ele estava com 4 meses e eu amamentava no peito. Tinha muitas crianças sendo batizadas aquele dia e por isso demorou muito. Me lembro dele chorando muito provavelmente com fome...tadinho. E sabe o que eu fiz, fiz exatamente como essa mãe que o papa Francisco falou, não dei o peito por vergonha...Aii como eu me culpo hoje das coisas que fiz...mas era pura imaturidade. Eu não conhecia a pracinha ainda...fazer o que?? Agora não adianta chorar o leite derramado né!?? mas, hj qdo eu vejo uma mãe com seu baby no colo a primeira coisa que me vem na mente é tomara que ela não caia nas armadilhas dessa sociedade hipócrita que a gente tem. bjs em vc e na Liana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Francine, você teve o Felipe muito nova, talvez por isso a imaturidade. Mas sabe, essa coisa de amamentar em público bem no início não era fácil pra mim, mas a vontade de amamentar era maior. Hoje não tenho problema nenhum em fazer, seja na igreja ou em qualquer local.
      Beijos!

      Excluir
  13. Rita voltei com blog novo !!
    Aqui no começo tb tive muito leite e fiquei arrasada quando Lorena largou o peito qdo entrou na creche =(
    Tb amamentei no batizado e tenho até foto, uma das minhas preferidas por sinal !!!

    Beijos

    ResponderExcluir

Leu? O que achou? Deixe aqui seu comentário, que logo eu respondo. Para ver a resposta não se esqueça de marcar o quadradinho Notifique-me, em baixo.